Série Gestão de Associações de Turismo: MUITA ENTIDADE PARA POUCO CALDO: A “SOPA DE LETRAS” E A POLÍTICA DE TURISMO MUNICIPAL.

Você já percebeu a quantidade de entidades que circulam no ambiente político do Turismo? Com raríssimas exceções, sobretudo àquelas ligadas aos patronatos, esta verdadeira “sopa de letras” pouco têm contribuído no desenho de Políticas de Turismo nos Municípios.

Por mais justificada que seja, esta diversificação da representatividade está demasiadamente pulverizada, pois as mesmas pessoas participam de diferentes entidades. O problema disso tudo é que, sem a clareza do papel de cada uma delas, surgem naturalmente as sobreposições de esforços e posicionamentos. Como resultado, há uma tendência danosa de concentrar opiniões e ações operacionais em poucas pessoas. E sem enxergar resultados concretos, o empresariado começa a ver-se cansado ou pior, começa a olhar para o boleto no final do mês como custo, e não investimento.

Não é difícil perceber o porquê de muitas entidades estarem passando por dificuldades financeiras. Não é difícil perceber o descrédito nas instituições, não é mesmo? Os próprios empresários do trade tem tido dificuldade em até mesmo em atender ao desencontrado volume de compromissos com reuniões, eventos e etc. Muitas vezes uma única empresa faz parte de quatro entidades diferentes, ao mesmo tempo. Se você está gostando deste texto, por favor compartilhe com seus contatos.

E para ajudar, quando alguém discorda dentro da sua entidade, ao invés de buscar soluções internas discutindo melhores caminhos, convida os descontentes, vira mimimi e cria outra entidade! Mais letrinhas….mais letrinhas…que nada mais são do que a representação da vaidade dos seus novos dirigentes. Não se dão conta de que com isso, o debate sobre turismo enfraquece e politicamente todos perdem.

Para o Gestor Público este cenário “sopa de letras” é prato fácil, colocando facilmente “todo mundo no bolso”. No discurso ele pode até fazer referência à importância das instituições na política municipal. Tudo blábláblá! Na realidade, dará muito mais ouvidos aos empresários individualmente do que às instituições das quais representa. Mais uma vez temos a concentração das opiniões. Pense nisso.

Dúvidas, esclarecimentos? Pergunte!!

Abr. Mielke, Dr.

 

Anúncios

2 comentários em “Série Gestão de Associações de Turismo: MUITA ENTIDADE PARA POUCO CALDO: A “SOPA DE LETRAS” E A POLÍTICA DE TURISMO MUNICIPAL.

Adicione o seu

  1. Fantástico esse texto Mielke, traduz em vários grãos a inoperância dum grande número de entidades que às vezes não sabem nem o porquê de estarem presentes nas discussões em prol do turismo. Muitos COMTURs têm mais de trinta entidades que no lugar de colaborar tumultuam o conselho e o avanço de melhores perspectivas para a localidade. Sem comentar que muitas dessas entidades possuem um compromisso de manutenção de cadeiras e chefias; como bem frisou, um tempo o dirigente está numa, depois passa para outra e assim se perpetua no turismo sem colaborar trocando apenas de cadeira, para manter o ciclo do poder de decisão das oligarquias que não querem perder o controle do setor.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: