Texto 50 – FIQUE TRANQUILO! ORGANIZAR O COMTUR NÃO IMPLICA EM CONVIDAR AQUELE PRIMO QUE VOCÊ NUNCA VÊ. Série SIMTUR, por Eduardo Mielke.

Ao elaborar a lista de convidados do Casamento, sempre surge uma Tia para lembrar-te daquele primo que nem ela sabe muito bem quem é. Mas “sabe como é né meu filho, fica chato não chamar, pega mau!!…As pessoas vão ficar chateadas…blábláblá!!!”

Para organizar um COMTUR, esqueça sua “Tia”, não entra nessa. Turismo é uma atividade comercial e competitiva, que precisa organizar-se de forma coesa, dinâmica e cooperada. Conselhos inflados resultam num bando de acentos que nem esquentam pela diversidade de suplentes dos suplentes. Aliás, onde o poder público é maioria, este cenário é muito recorrente. Tomara que o cafezinho do coffee break seja pelo menos bem servido…

Na âmbito do SIMTUR, o COMTUR é a ARENA DE ACORDOS. É lá que o papel de cada um, sob a perspectiva estratégica da GOVERNANÇA e ACESSO AO MERCADO, é conversado. Não espere algum avanço consistente se as pessoas que lá estão não possuem uma relação direta com estas discussões que são as que realmente interessam.

Toda a composição do COMTUR tem que fazer sentido para as pessoas. Da mesma forma que cada conselheiro, deve ter claro o que ele está fazendo ali. Assim como, e não menos importante, sobre as expectativas dele, e do que ele acha sobre a real função do conselho. Questionamentos simples, que fazem toda a diferença entre eficiência e “para tomar cafezinho”.

COMTUR sustentável deve obedecer uma matemática tripartite, com pessoas e entidades da sua Cidade que mais tem a ver DIRETAMENTE com aqueles temas supracitados. Ponto. Todos os demais devem participar quando sua expertise for necessária. Por exemplo, se por acaso Segurança Pública for parte da pauta, chame o Secretário da pasta para tirar dúvidas ou prestar esclarecimentos. Ponto final. Ele não precisa fazer parte. Te garanto até, que ele irá te agradecer….mesmo porque, ele já tem o Conselho da área dele para cuidar.

Chamar todo mundo para “não ficar chato politicamente”, não tem nada a ver com processos inclusivos. Isso não é ser inteligente e nem estratégico, sobretudo do ponto de vista de resultados. COMTURs estão na base da Política de Turismo que defendo. Por isso, menos é mais, desde a perspectiva da qualidade das decisões. Aliás, quantidade mesmo só importa, quando o assunto for: fluxo e gasto do turista na sua cidade. Pense nisso.

Dúvidas, esclarecimentos?

Pergunte.

Abraços. Mielke, Dr.

2 comentários sobre “Texto 50 – FIQUE TRANQUILO! ORGANIZAR O COMTUR NÃO IMPLICA EM CONVIDAR AQUELE PRIMO QUE VOCÊ NUNCA VÊ. Série SIMTUR, por Eduardo Mielke.

Deixe uma resposta para gilmar augusto de jesus Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s