Texto 36 – A ASSOCIAÇÃO DE TURISMO QUE PERTENÇO NÃO CONSEGUE TER A ATENÇÃO NEM DO SECRETÁRIO, NEM DA PREFEITURA – O QUE DEVO FAZER? Série Gestão de Associações de Turismo, por Eduardo Mielke.

O Poder Público se move por demanda. Quem for mais organizado e souber agir em bloco leva. Cooperar para competir…Quer ser ouvido, faça por onde!

Associações sem-mimimi já perceberam que o caminho é outro. Buscam primeiramente se firmar concentrando seus esforços com seus mantenedores. Buscam através da ajuda mútua, novos negócios, parcerias. Ou, mais números e cooperação. De dentro para fora, é assim que o processo de empoderamento se constrói. E não o contrário. Não peça fora se o problema está dentro. Não peça atenção se os seus não lhe dão. A percepção é algo que irradia. Quanto mais sólida, mais as pessoas do entorno irão perceber. Inclusive o Prefeito.

Eu (Secretário) atenderei vocês quando vocês se decidirem sobre o que querem de fato…” este tipo de postura está sendo recorrente nas relações entre o poder público e as entidades do terceiro setor de turismo.  Falta de consenso, incongruências de posicionamento e disputas de poder entre associados e até mesmo entre associações, estão na raiz do problema. E saiba todas estas divergências são fáceis de serem percebidas por  quem está do lado de fora. Bem fáceis mesmo!! Crise de um lado, oportunidade de outro…

Olhando pelo lado de quem está no público, está atitude que aparentemente remete a um desdém, não está errada. Muito pelo contrário. Quem trabalha com política sabe que não existe o “ficar em cima do muro”. E por prudência, só há apoio quando houver algum indicativo mais seguro de que estará atendendo alguma direção..ou a um grupo.

Portanto, antes de sair reclamando do Prefeito ou do Secretário de Turismo que não te dá bola, veja se a Associação de Turismo está fazendo a tarefa de casa. Aqui vai a dica, que segue critério único: Veja o quanto as ações táticas e operacionais da entidade, estão trazendo benefícios reais aos associados? Em outras palavras, o quanto estão sendo percebidas tanto no bolso (mais negócios e ou menos custos), como pelo sentimento de pertencimento (na associação eu encontro ouvidos aos problemas da minha empresa), pelos quais os associados sentem pela entidade. Pense nisso.

Dúvidas, esclarecimento? Pergunte.

Abraço. Mielke, Dr.

 

Anúncios

4 comentários em “Texto 36 – A ASSOCIAÇÃO DE TURISMO QUE PERTENÇO NÃO CONSEGUE TER A ATENÇÃO NEM DO SECRETÁRIO, NEM DA PREFEITURA – O QUE DEVO FAZER? Série Gestão de Associações de Turismo, por Eduardo Mielke.

  1. Edgar Tramontin de Farias Filho novembro 3, 2016 — 12:22 pm

    Bom dia,

    Muito bom este post. Vou compartilhar com meus amigos turismólogos. Também penso que a organização deve vir da base.

    abs,

    ________________________________

    Curtir

    1. Olá Edgar, Boa tarde. Fico muito feliz que tenha gostado. Toda terça tem texto! Um forte abraço e seguimos.

      Curtir

  2. Parabéns. Vou consultar seu blog para ter informações. Estou morando em São Sebastião, Litoral Norte, e vejo que temos muitas demandas por aqui. Abraços

    Curtir

    1. Olá Karin, muito obrigado. Estou à disposição! Qualquer dúvida é só escrever.
      Abr
      Mielke.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close